domingo, 6 de julho de 2008

Cade os escritores alternativos brasileiros?

Joca Faria

Pois é, o mundo inteiro só pensa nisso: é uma espécie de fome para ficar cada vez maior. De ficar grande, gordo. É uma epidemia. Uma obsessão de crescer a qualquer custo sem se importar com o rumo das coisas. Eu não, penso que a sabedoria é saber a hora de parar de crescer

Liz Calder

Tó voltando da Flip fui acompanhado de dois anjos um bom e outro mal que estão unidos em corpo e alma...Que gostoso andar acompanhado de dois anjos. As vezes o bem vira mal e o mal vira bem quando nos uma-nos vamos entender isto?...A Festa Literária é uma grande festa...não conversei com ninguém via anjos e demônios em minha frente...via também seres que tentam chegar a humanidade e por isso são umamos...Vi uma linda garota leitora de Nil Gaimam com um visual muito distinto...eu estava vestido de umano...e desaparecia na multidão tirei uma foto ao lado dela...pois sou fã de gente estranha igual o Bene e outros tantos nunca quis ser normal como diria o Franklim sou uma metamorfose paranbulante em busca de outras metamorfoses...cade a Flip em off ou desligada que gente de velório. Parecia um velório um dos eventos desta tao de off flip...Prefiro a Flip e toda aquela multidão..Gente não há nada mais alternativo neste imenso Pais? Só uns babacas que querem fazer sarau a base de bebidas e drogas prefiro o silencio da leitura de um livro...E não perco meu tempo.Com gente que não vai me acrescentar nada...A Flip é uma grande festa com o debate que é bem pago. Pagaria com muito prazer aquele ingresso mas eu estava a fim de ver gente e só tinha gente da melhor...O povo todo atrais desta festa de leitores...não encontrei nenhum escritor e não me fez falta nenhuma o bom é circular e circular...Que cidade acolhedora não é cara e nem barata tá dentro do normal volto lá mais vezes...
Mas e a cena alternativa? Brasileira estava lá representada pela OFF FLIP pela experiencia de um dia digo que não estava...O pessoal é esforçado admiro o empenho do Marcelino Freire mas aquela cerimonia parecia um velório o marketing das grandes editoras era melhor...Porque os tais alternativos não aprendem povo vão ler a biografia de nosso Paulo Celho e depois reclamem desta minhas linhas.
Acho que a ditadura militar acabou mesmo com o pais nossa geração é muito fraquinha perto da de nossos pais...Não estamos acrescentando nada de novo? Vamos nos virar e revirar chega deste marasmo temos tudo na mão para gerar novas idéias e ações e estamos brincando de marginais?
Nossa geração é estupida e burra precisamos virar gente...E fazer algo criativo de verdade aquela ponte que separava o povo lá dava para fazer altas performances com pouco custo..Aproveitar aquele centro de maneira inteligente na onde tem aquela Praia Morta montar um circo com uma programação alternativa de verdade pergunto onde estava o criativo Edu Planchez? Vamos virar este jogo para o ano que vem parabéns a Liz Calder por criar esta

Flip-Festa Literária Internacional de Paraty
E privilegiar nossa geração de um grande evento...O espaço ta lá o ano inteiro que Paraty vire a Meca e Aparecida do Norte do saber brasileiro.
Lá já tem Trindade mesmo perto do Rio e São Paulo gente vamos virar profissionais e mudar este pequeno planeta chamado Terra a ora é esta façamos nossa parte...
E viva a Celebração ao Renascimento da Poesia....
E grita Frederic Nietze É necessário possuir um caos dentro de si para dar a luz a uma estrela brilhante...
No mais tó indo mas se aqueles dois anjos que me acompanham permiti eu volto para trazer o mal e o bem ....beijos em seus corações que ainda é pedra...

João Carlos Faria

Gaia

Literatura, Filosofia e arte...

Nenhum comentário: