quarta-feira, 2 de julho de 2008

Confissões masculinas

Joca Faria

Toda a tarde é boa para se viver. Eis que aqui estou de volta e sempre o que fazer...? Ouço este som urbano...nesta tardia tarde...depois do sono preguiçoso agora diante desta tela e nada para pesquisar? Sempre temos que estar a fazer alguma coisa importante? Nunca paramos para nos ouvir...Este silencio maravilhoso só eu e esta tela em branca, qualquer hora desta arrumo um papel de rascunho...para rascunhar a vida...não ando lendo livros eles empoeiram na estante...vou arrumar a minha estante dar um rumo para ela. Porque devo arrumar a minha vida dar um novo rumo para ela. Sonhei que estava em Natal já faz muito tempo que não vou a Natal..Uma coisa que nunca li e que quando nos homens vamos ao banheiro as vezes fica um pouco de urina e se espalha pela perna o coisa chata que a gente se depara será que as mulheres tem algo semelhante?
Porque a escrita não conta nossa intimidade, sempre falamos do mundo da politica e esquecemos do cotidiano e a vida é puro cotidiano..A chuva que molha o calçado, a dor de barriga que faz pararmos alguma coisa. Uma fome repentina...Os desejos secretos quase nunca realizados..O que você leitor já pensou hoje e seria estranho contar para alguém me escreva? Me conte....sou todo ouvidos estou
aqui para isto. Eu sempre me abro com você então se abra comigo...Daqui a pouco encerro este texto e vou fazer outra coisa lá na Siciliano logicamente ler mais um capitulo da vida de Paulo meu grande amigo Paulo sabia que ele mantinha um diário nunca tive diário a minha escrita meus escritos são pessoais...Aqui acho que não tenho vergonha de nada até porque ninguém lé mesmo
estes dia escrevi ao Rinaldo Papoy que quando escrevo bons textos e que penso que amigos e familiares nunca irão lelos...Eles são nossos maiores censores minguem tolera a liberdade ou a tentativa dela. E eu que por causa da dor de garganta quase não fiz mantram esta semana...
Sabem mulheres porque nos homens nos mantemos reservados e somos pouco ousado com relação a afetividade e visual é o medo de sermos taxados de Gais...Isto barra qualquer coisa criativa nos homens não mais vivemos em guerra, não somos mais caçadores não temos mais poder financeiro o que sobrou para nos. Além destas barrigas e roupas cafonas?
Nada o mundo hoje é delas. E das bixas que ninguém em nome do bom senso pode criticar?
É precisamos de mudança mas não de heróis e sim de muita gente ousada chega de gente comum...não gosto de pessoas comuns, sinto-me comum até demais pena que tenho sempre pouca grana para variar no visual.
E como diz a Gloria Kalil nos homens não fomos educados para nos vestir bem pois sempre corremos o risco de ser taxados de almofadinhas...
Acho que vou encerrando gostei do título Confissões Masculinas...
Beijos a todos mulheres e homens...Telma eu não sou GUEY....

João Carlos Faria

Gaia

Literatura, filosofia e arte...

2 comentários:

pequenagrandepoetisa disse...

Nossa que maravilha Joca!! Texto muito bom! De fato me fez rever várias coisas no meu cotidiano. Absoluto! Aplausos!!

João Carlos Luz disse...

Oi João Carlos Faria. Tenho recebido seus e-mails. E até o presente momento ainda estou te lendo. Para tal aguardando concluir algumas coisas que me enviaste, que são inúmeras, mas vou com calma ver e ler seus envios. No aguardo e na expectativa de conhecer melhor seu trabalho. Um forte abraço.

João Carlos LUz