sexta-feira, 18 de julho de 2008

http://aboborasaovento.blogspot.com/

Do blog Aboboras ao Vento



Segunda-feira, 7 de Abril de 2008
O homem vestido


Ele acabara de entrar e então todos os olhares se dirigiram a ele. Adultos, crianças, homens e mulheres. Muitos olharam embasbacados, como se nunca tivessem visto nada igual na vida. Alguns olharam assustados; outros demonstraram estar desconfortáveis. Muitos acharam graça e riram. E ele atravessara o ambiente com rapidez, passara tímido na frente de todos e sentara em um canto. Acomodou-se, e colocou seus pertencentes no colo. Após aquele breve momento de timidez; parecia não estar incomodado com todos os olhares que persistiram se fixar em sua pessoa.

As pessoas o observavam e se entreolhavam, procurando segundas opiniões e confirmações através de olhares. Ele permanecia sentado, mantinha as pernas cruzadas, as mãos em cima de seus pertencentes e um sorriso enigmático. Talvez todos pensavam a mesma coisa que eu: “por que este senhor está usando um vestido?” Não parecia um travesti, transformista, nem nada do gênero. Já vi muito homem de vestido; de tudo quanto é jeito, mas nada assim. Era simplesmente um homem usando um vestido de tecido fino, de cor laranja, estampado com flores enormes; com dois ou três babados na manga. Nas costas, havia uma fileira de botões, que estavam prestes a estourar, pois o senhor tinha as costas muito largas. Tinha cabelos castanhos muito finos e lisos, mesclados com fios brancos; o corte era aquele típico de “menino-com-a-bacia-na-cabeça”. Seu rosto era composto por traços bem fortes: maxilar quadrado, um nariz grande e um pouco torto, sobrancelhas grossas, a barba cerrada e algumas rugas. Mas também tinha olhos inocentes e o sorriso de uma criança ao pensar em travessuras. Nenhum sinal de maquiagem. Sob as mãos grossas, tinha um casaco de crochê e uma bolsa preta, um pouco empoeirada. Ele ainda usava meia-calça cor da pele em suas pernas peludas, e nos pés grossos, com as unhas pintadas de vermelho, usava uma sandália baixa e preta. Ele aparentava ter mais ou menos cinqüenta anos.

Um tempo depois, passei a observar a reação das pessoas que entravam naquele ambiente. O moço-vestido estava sentado em um canto que o deixava visível a qualquer pessoa que entrasse naquele recinto. E a reação era a mesma, aquele primeiro olhar; para o cérebro processar a informação. “Um homem de vestido!” E depois, a curiosidade: “Mas por que ele está usando um vestido?”. Teve um cidadão que ao entrar, levou um susto tão grande; que quase caiu para trás. “Ué, nunca viu um homem de vestido, não? É uma coisa até normal hoje, mas quem espera um homem-vestido no meio da tarde, ainda mais naquele lugar?” E então, duas garotas entraram usando mini-saias, reagiram ao ver o homem-vestido; mas enquanto atravessavam o lugar, ele olhava as pernas das moças fixamente. Estranho.Não sei se desejava as moças ou suas mini-saias.

Mas por que diabos, o homem usava vestido? Ora, vai ver ele estava com uma amante, e marido dela havia chegado, e às pressas ele teve que sair disfarçado de mulher. Não, não daria tempo dele pintar as unhas e ainda vestir a meia-calça, sem borrá-las. Mas talvez as unhas era um fetiche da amante!Vai saber!Já sei! Ele poderia ser um ator; mas ele não tinha cara de ser tal coisa. Às vezes, ele havia passado no vestibular e esse era o trote dele!É, difícil. Às vezes, ele era doido e estava fugindo do hospício!Ou indo pra um! Ou ele gosta de vestido e ponto. O que a gente (eu e minha multidão de eus) tem a ver com isso?

E então perdida entre tantas hipóteses, uma cada vez mais absurda que a outra, vem-me à mente a data do dia. E tudo fez sentido (pelo menos na minha cabeça). Mistério desvendado. Olhei para o homem-vestido e entendi o seu sorriso enigmático, seu olhar, a sua tranqüilidade. Tem coisas que acabam sendo esquecidas com a correria do dia-a-dia e com o ritmo frenético da vida. O dia era Primeiro de Abril: Dia da mentira. O homem-vestido, na verdade, era simplesmente um homem-brincalhão.

Beijos para os plantadores de Abóboras!
Obrigada pela visita de vocês e pelos votos de melhora! ;* Bisous

The Hellacopters/By the Grace of God
Por Pelirroja às 10:25:00 AM 12 comentários
Marcadores: abobrinhas, devaneios

http://aboborasaovento.blogspot.com/

Nenhum comentário: