sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A pantera cor de rosa...

Joca Faria

Flor Bela se espanta...Na janela ...a donzela canta...Quero escrever um texto de paixões proibidas em minha voz feminina...Quem manda eu ser um pouco Deus quando crio. Todos somos enquanto artista...Quando crio dispo-me de meu sexo...de minhas luxarias...Quando escrevo sinto-me mais perto de mim...Estou tentando aprender a meditar neste meu quarto barulhento...Nesta tarde de sexta feira...Ainda não há li...Começo a degustar ...Volições de Yara Camillo que gentilmente me enviou seu livro...Embriago-me de seus escritos...As crianças que cantam no metro...O casal classe média que se perde...E a moça que escolhe a calcinha isto acendeu meu desejo por entender o universo feminino...Tenho ainda minhas coleções ...Não consegui ainda eliminar este desejo de colecionar...Ás vezes nas lojas vejo seguranças de olho em mim...Dá vontade de reclamar. Mas fazem o papel deles...Faz meses que não compro nada...Algumas servem outras não...E daí perco alguns reais...Mas fantasias são realizáveis? Não sei por que as temos...Mas temos ainda bem que não uso drogas e nem bebo...Prefiro a arte...Hoje depois de meu sono tive vontade de abandonar tudo e ser normal...Mas já sou normal até demais...Sinto-me feliz quando escrevo sobre mim mesmo. Despido de qualquer personagem esta voz são meus eus...Qual será a voz do ser? Na sala passa a Pantera cor de rosa...Que música maravilhosa adoro este desenho...Ser é algo difícil não ser ainda mais...Eu poderia não ser quem sou...Mas já que sou fazer o que? Ás vezes tenho vontade de ir embora de mim mesmo... Mas tento e não escapo de mim...Aquele vídeo que gravei vai sair? Quando estamos fantasiados de personagens somos nós mesmos... Tenho vontade de pintar as unhas... O CABELO...Criar um novo visual para mim...Não consigo ser igual. Gosto de Elke Maravilha ela disse que foi mais bem tratada em São Paulo que no Rio algo estranho é isto? Quando comprei uma canga na Bahia e o vendedor estranhou quando disse que era para mim...Terei que ir a Amsterdã la serei eu mesmo? Mas quem sou? Não gosto da solidão e atendo telefones e uso o MSN com frieza...Quando escrevemos queremos escrever e nada mais...Que texto delicioso...Faz tempo que não escrevo assim só eu gosto de meus textos...Fazer o que né...Quem nasceu para ser poeta ...é poeta...Será que sou um grande personagem...Não sei só sei que estou feliz por escrever...MESMO com a cabeça doendo...e o corpo querendo tomar banho...Não quero encerrar este texto...A menina vai a loja escolhe a calcinha mais bonita a seu gosto...O homem vai á loja e também compra uma cheia de babados e florzinha...Que coisa...é fim de era? Porque ser homem é ser cinza...E o mundo para as mulheres é colorido? Quando queimaremos nossas cuecas?


João Carlos Faria

Mundo Gaia

Literatura, filosofia e arte...

www.mundogaia.com.br

Um comentário:

Theresa disse...

Mundo particular.
Quarto barulhento e cheio de fantasias.
Jornada que conduz a um mundo totalmente diferente, sem regras ortográficas, livre, que flui com
total irresponsabilidade,tornando-se inesperado a cada novo assunto, misturando vária emoções. Curioso, provoca e excitante deixa a pergunta.... uma história com algo a mais....... uma pessoa com uma história.

Beijos infinitos..