segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Poesia no Prato

O "Poesia no Prato" é um evento contagioso e transformador. Nos contamina de um modo benéfico.
Quem participa sai dali enérgico.
É um momento forte e especial que os poetas de São José dos Campos e também todos os outros seres
que apreciam cultura, vivem.
O fato é, que esse encontro é real. E tem forças expansivas. É um grito, uma reeducação da nossa
coragem de amar e mudar o mundo pelo meio da palavra.
É solidário. São os raios curtos e longos dos poetas de 2008 no interior de São Paulo, Brasil : despedaçando
a mentirosa frota de Pedro Alvares Cabral -- pois o Brasil está sendo descoberto agora dentro das pessoas que
participam do Poesia no Prato.
Ninguém ali dorme certo. Um olho aberto, outro fechado. Um olho torto, outro quadrado.
Ficam sonhando pela madrugada à dentro.
Durante o evento, muitos ficam ouvindo e repetindo um poema decorado na mente e esperando a brecha
certa para pulo-berrar na arena.
Foi um ano de poesia em são José dos Campos, não dá para dizer o oposto. A realização do Poesia no Prato
é a criação de um ímã gigante. O ímã gigante é aquela roda de poetas, onde "Todos somos poetas" e quem
chega perto é atraído para dentro. Para ser revelado que está e é, recheado de ferro. E por isso, tem o poder
de ser queimado debaixo e dentro do quiosque do Parque Santos Dumont.
Um salve aos idealizadores do Poesia no Prato!

léo Mandí, Músico e poeta

Um comentário:

Vanessa disse...

Parabéns pelo texto Léo Mandí!!! Maravilhoso!!
O evento mudou a minha vida... pois foi lá que tive a oportunidade de conhecer pessoas maravilhosas como vocês! Grandes amigos!!!
Meus melhores beijos no coração de casa artista que fez o meu ano de 2008 inesquecível.