quinta-feira, 2 de abril de 2009



Não precisamos de heróis.

Joca Faria

Vivemos uma época estranha de muita informação e ao mesmo tempo de muita desinformação. Estamos perdidos e achados. Hoje para mim entre a internet e um bom livro prefiro um bom livro.
Acabo de deletar um montão de email que me trazem um monte de informação e na verdade nenhuma.
Ultimamente adoro andar de ônibus para ver as pessoas falando de suas vidas suas soluções e problemas. Fiquei tanto tempo sem andar de ônibus. Que agora os vejo com outro olhar.
Estudantes, trabalhadores, lindas mulheres pessoas inteligentes. Talvez as coisas mais simples na vida como andar de ônibus seja as mais interessantes. Gosto de pessoas gosto de andar em nosso mercado municipal. E descobrir seus aromas e tudo. Da mais diversidade que ele tem.
Para mim ouvir falar em crise é estranho pois nós brasileiros pobres como diria Nélio Fernando num desabafo excepcional sempre estamos acustamados as dificuldades.
Da falta de bom empregos ou até mesmo serviços, da horrível rotina de entregar currículos na segunda-feira. Tem um amigo que abandonou as segundas. Não suporta mais ver aquelas pessoas com caras sofridas entregando seus currículos. Isto o enoja não pelas pessoas mas a farça deste sistema de mercado.
Que nos enrola tenha colegial. Tenha faculdade, tenha inglês agora é mandarim e sempre somos iludidos até quando compraremos estas enchorradas de produtos chineses de má qualidade e preço barato.
Até quando suportaremos estes hospitais públicos sucateados em qualquer cidade do Brasil.
Que inferno são estas milicias e grupos organizados de criminosos que cada vez se tornam a lei no Rio ou em nossas periferias de São Paulo.
Não temos mais a onde correr não adianta os ricos e poderosos se esconderem em seus feudos como fazem na praia de Tabatinga em Caraguatatuba não deixando nenhum chuveiro para os banhistas.
Nosso modo de vida está acabando as eleições não mais resolvem a maioria das ongs é picaretagem.
Precisamos criar outros processos de produção. Gerar a distribuição de renda. Todos somos Nélios ele só teve a coragem necessária de se expor. De contar suas dificuldades a classe média infelizmente está acabando nosso mundo se não fizermos absolutamente nada vai ser dividido entre ricos e miseráveis.
A violência explode até quarteis de exercito hoje se rouba. Fortalezas são assaltadas e ninguém faz nada.
As policias estão corrompidas. O estado nacional já é uma grande farça. Precisamos recriar este mundo. Ou nossa vida será em vão.
Para que serve o G 20 para nada enquanto não temos empregos. Somos escravos modernos pois temos que trabalhar a vida toda, para comprar bobagens como celulares, carros caros e inseguros, casas e suas pretaçoes e mal construida.
Nada que comemos é seguro Leon Tolstoi em sua obra anárquica no fim de sua vida já provirá tudo isto e agora José?
O que faremos para mudar este estado de coisas precisamos recriar a arte, a filosofia e as religiões aquele vide-o Zagstein peca por confiar tudo na ciência, precisamos de artistas, religiosos, políticos talvez não de exércitos e policiais.
Precisamos desenvolver o emprego solidário as cooperativas, empresas onde as ações e o lucro seja de quem trabalha.
Chega deste encruzilhada neste século vinte e um. Não precisamos de heróis precisamos de mulheres e homens de verdade e fé.
João Carlos Faria
Mundo Gaia
Literatura,filosofia e arte...

Nenhum comentário: