quinta-feira, 28 de maio de 2009

Em qui, 28/5/09, JOAO CARLOS FARIA escreveu:
De: JOAO CARLOS FARIA Assunto: Re: [arteateh] Fwd: exposição no Yázigi Esplanada - Ricardo Valise e Paulo Pacini - aberta até dia 4 de junho - confira! grátis!Para: arteateh@yahoogrupos.com.brData: Quinta-feira, 28 de Maio de 2009, 20:00
Caro GEAN estamos no Brasil trabalhei na Fundação Cassiano Ricardo no primeiro ano como faxineiro e nos anos seguintes como Agente Cultural. Fazendo a faxina na galeria que tinha no Shoping Centro tive o prazer de conviver um dia com Yaneli. As dificuldades na arte são sempre as mesmas . Nunca se cria espaços com infraestrutura correta a não ser nas Capitais. Passamos anos sem uma galeria como há do centro. A Helena Calil. Em Eugenio de Mello em 1996 foi comprado um prédio para ser casa de cultura. Mesmo na rica FUNDAÇÃO CULTURAL as verbas somem. Para onde vão deixo para os criticos e jornalistas.
Perdemos o ICBEU que fez um belo trabalho por mais de dez anos em Arte.
Acredito que falta nesta rica São José dos Campos é grupos sérios ligados a arte que busquem trazer espaços como o CPFL,Banco do Brasil e outros para sairmos de nossa vidinha acomodada entre Sesc e Fundação.
Ong com trabalho sério só conheço a Eco Solidário. E as sociais como as que cuidam de crianças com cancer.
Esta cidade como diz Ricardo Faria não tem pessoas séria. Que o diga Jorge Saladino.
Que brada sozinho sem nenhum Eco Eco Eco.
Por isto muitas fezes opito pelo radicalismo. Por mais que tenhamos boa vontade as coisas não saem do lugar ficamos por 10 anos sem Sesc na cidade e agora felismente abriu uma luxuosa instalação pena que puseram uns guardas-roupas velhos deve ser sobra da reforma. O OSWALDO VIVE brindado.Ouvi dizer que usa colete contra-tiros de nossos artistas que morrem de fome.
É a cidade é bem ironica temos Claudio Mendel na Fundação e Oswaldo no Sesc.
Patrocinadores não existem. Nunca os vemos a secretária de cultura criou a Assoca com
caches para morrermos de fome.
É assim nosso Brasil cheio de Massons fora da realidade.
Poetas fora da realidade. Artistas plásticos alienados.
Um dia quem sabe seremos uma nação. Talvez na idade de ouro...

João Carlos Faria--- Em qui, 28/5/09, Giancarlo Ragonese escreveu:
De: Giancarlo Ragonese Assunto: [arteateh] Fwd: exposição no Yázigi Esplanada - Ricardo Valise e Paulo Pacini - aberta até dia 4 de junho - confira! grátis!Para: arteateh@yahoogrupos.com.brData: Quinta-feira, 28 de Maio de 2009, 15:32
---------- Forwarded message ----------From: Giancarlo Ragonese <gianca@superig. com.br>Date: 2009/5/27Subject: Re: exposição no Yázigi Esplanada - Ricardo Valise e Paulo Pacini - aberta até dia 4 de junho - confira! grátis!To: paulo pacini <pacinipacini@ yahoo.es>
Olá Paulo, Célia, todos
Fui a exposição no Yazigi do Paulo e do Ricardo .
Não gostaria de me tornar um crítico de artes . Vou tentar me colocar como artista e buscar pelas sensações alguns comentários.
Sabemos que o espaço Yazigi não é um espaço pensado para a arte e que assim cria inúmeros desafios para os curadores em resolver uma série de questões e problemas de ordem expositiva.
A primeira sensação que tive no hall é a falta de foco para os trabalhos que ali estão. É preciso um certo esforço para que o olhar caminhe mais direto para as obras. talvez a questão da luz. O ambiente é extremamete iluminado... ..será que uma equalizada na intensidade da luz e ela mais direcionada poderiam ajudar?
No corredor tenho a sensação de aperto. Mais uma vez, o espaço criando os desafios. Não da muita vontade de ficar ali parado. É um ponto de passagem.... Os trabalhos acabam convidando a gente a parar e como a distância é pequena o respiro entre o olho e a obra é menor.....Talvez existam trabalhos que sejam mais adequados para aquele espaço. Trabalhos que não te convidem para olhares atentos, coisas que gerem sensações mesmo que a gente não pare.
No ambiente principal senti mais conforto, talvez a iluminação tenha contribuido. Ficou bem interessante o foco de luz sobre os trabalhos de pintura do Paulo. A idéia de se colocar os quadros no chão angulados me gerou uma curiosidade de ve-los na verdade em pé na parede partindo do chão, como na exposição em Taubaté que foi bastante impactante aquelas paisagens na altura do olho......
Quanto aos trabalhos do Ricardo me trouxe uma sensação de proteção.....aquela coisa de ir cobrindo o ferro um material frio e rude com o tecido colorido um material mais quente . achei uma combinação muito interessante. Fico pensando em trabalhos desta natureza com outras dimensões ....
Pena que o número de pessoas não foi grande. O que aconteceu?
Problemas de divulgação?
É isso
Espero ter contribuido
Abraços
Gian
2009/5/25 paulo pacini <pacinipacini@ yahoo.es>
Olá,
Abaixo Você confere algumas fotos da inauguração e da exposição A idade do tempo e o lugar do espaço. Obrigado.
fale aqui com os curadores

Nenhum comentário: