terça-feira, 28 de julho de 2009

Calu te amo.

Joca Faria

São José dos Campos é onde vivo. E por viver nela tenho amores e conflitos. Viver é algo conflitoso.
Não há formula fazer uma faculdade. Ter um emprego ter uma fé não são formulas exatas.
Ter um amor ou vários amores. Não tenho nem um nem outro. Reclamam de mim que as vezes sou ultra conservador e as vezes ultra liberal. Não sou formulável. Sou um ser humano passei pela dor dá perda por estes dias. Vi uma calopsita morrer. E não podia nada fazer. Eu a amava e isto é belo.
Meus olhos lacrimejam neste exato momento. Falar da perda de minha companheira Calu. Para mim é duro. Ela apareceu no portão de minha casa. Fui lá fora minha mãe mandou pega lá bem mau humorado peguei pois estava a navegar neste quadro.
E foi amor a primeira vista. Era minha e nossa Calu. Agora ela foi embora e a casa esvaziou-se. Minha filosofia não podia fazer nada. Orei aos meus Deuses e nada. Entrei em depressão parecia algo estranho perder alguém que se ama. E não poder fazer nada. Para mim ela esta no hall dos que já
perdi. Minha fé me explica que ela perde este corpo e já renasce em outro. Minha fé´me diz que tenho que comprovar.
Espero uma hora ou outra encontra-lá nas dimensões infinitas do universo. Eu a amo e pronto.

João Carlos Faria

Nenhum comentário: