quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O vestido...

Joca Faria

Acabei de ler um capitulo de um livro interessante neste universo da UEB. A cidade se faz presente em mim através do som da rua. Ouço o barulho dos automóveis estranho não tenho uma boa relação com automóveis. Não tenho vontade de dirigir ... Porque se me irritar com estes idiotas que azucrinam o transito iria meter o carro em cima deles. Por isto prefiro o transporte coletivo. É bem mais sociável. Adoro ver as mulheres pela manhã nos pontos e nos coletivos todas cheirosas e com banho tomado indo a seus compromissos.
Será que precisamos realmente de automóveis individuais não sei? Juro que não sei. Resisti há anos aos celulares. Não deixo de ser um consumista como todo mundo é hoje dia. Ultimamente contro-lo me .
Ter sem necessidade é buscar suprir carências afetivas e emocionais que temos nestes dias atuais. As escolas deveriam ensinar meditação para o ser - humano em geral.
Ontem numa loja quase comprei um belo vestido de presente. Mas para quem o daria?
Qualquer hora deste eu compro. Li ontem belos poemas que nos chegam via a UEB. Os novos autores nos falam de nosso tempo. Preciso dominar a técnica de escrever para teatro. Só faço estes textos quase que diariamente não gosto de uma vida muito agitada tira- nós o tempo da leitura e da escrita ai só lemos o mundo que fica registrado em nossa retina.
Percebo que as pessoas estão cada vez mais neuróticas por causa da velha sobrevivência.
Vou é voltar a andar apé. Isto ajuda a acabar com as neuroses.
Tem hora que dá vontade de ir morar dentro de uma mata na Serra da Mantiqueira escapar um pouco deste kaos urbano.
Eu seria tido como louco adoro quando Zaratrustra sobre a montanha e se isola. Friedrich Nietzsche me fascina tanto quanto Diógenes o cínico qualquer hora termino minha construção sobre Diógenes e monto a performance.
Compraria aquele vestido e sairia pelas ruas com uma lanterna, mas o que é um cego? Sem luz como outros cegos a querer ver a luz?
Não somos homens de verdade . Viemos das estrelas e caímos neste abismo.
E buscamos a libertação???

Libertação

Cansei de ser demôniopara que poses de DeusA minha verdade é o céuSeja ele o que acontece em tua bocaOu qualquer pedaço de infinito

Franklin Maciel

Este poema diz tudo a poesia esta ai viva um dia volto a arte de resumo ...
Viver é uma aventura mesmo diante desta tela uma pequena ave esta em meu ombro...
O CALOR e a presença nesta já tarde de quase primavera ... E agora posso fotografar a nossa São José dos Campos ...

João Carlos Faria

Editora Pasárgada

http://www.mundogaia.com.br/

Nenhum comentário: