domingo, 29 de novembro de 2009

Estival numa reconstrução orgânica de São Jose´dos Campos.

Joca Faria

Ouço Cazuza enquanto leio o blog de Edu Planchez enquanto ele escreve a Marilza Francisco este texto ficou em minha cabeça por dias a fio e agora que consigo escrever sobre ele Edu anda a se simplificar neste Construções Orgânicas.
Planchez, Harley Campos, João Nicolau, Franklin Maciel, Ricardo Faria, Eliete Santos e Elizabeth Souza estes poucos índios que sobraram e que sempre estão comigo ás vezes todos nos entramos em choque e nos esta piamos filosoficamente , mas estamos ai vivos.
Eles são de minha praia filosófica nos construímos tudo e ao mesmo tempo nada. E agora surge a juventude se reconstruindo através do Estival.
Estive presente e estou presente embora muitas vezes cansado. Não sei do que minha intuição diz que este planeta agoniza e não consigo esconder isto de ninguém.
Mas tudo é um ciclo e me consolo ao ler estes poetas. E me redescubro poeta mesmo criando na prosa crônica de cada dia.
O que será de meu segundo livro um apanhado de crônicas de um escritor prolixo.
Não interessa deixa as coisas acontecerem e ora de me rei ventar e nos reveitarmos enquanto coletivo.
E o Estival esta ai reinventando a cidade. Ontem nos demolimos naquela antiga fábrica a cidade parecia revelar seu sub terraneo eu como nada havia entendido do Estival.
Entrei em cena pelas mãos de Harley Campos e sua saudável loucura. O cara ontem roubava a cena como um autentico palhaço. E eu um da geração maldita não fiquei por menos entrei em cena com velhos poemas de sempre.
Desculpe não consigo decorar. Sexta estreei o figurino de Bispo de Rosário e Gentileza e que virava Joca Faria. Feito e pensado por mim e Eliete Santos.
Eu já não sou e sou. Alguém perdido no deserto urbano meu caro Edu penso como você, mas precisamos aprender a gerar renda precisamos de muitas moedas de ouro.
Precisamos criar espaços nossos sem depender do poder público e dos empresários.
Leiamos Michel Foucault
E outros tantos poetas, filósofos e músicos.
Criemos uma nova civilização. Devemos demolir tudo isto e construir o novo de novo.
Somos sempre os mesmos eternas almas a buscar a felicidade.
E viva a utopia reenventada neste Estival ...
É estamos ai para o que der e vier. Pois vivos estamos...

João Carlos Faria
Editora Pasárgada

São José dos Campos São Paulo Brasil

http://www.youtube.com/watch?v=97VhnBx7gtk

Nenhum comentário: