sábado, 21 de novembro de 2009

Sem revisão mas muita criação.
Não tá copiando nem colando.


O Beija Flor e a praça e o dono da banca de revista num sábado a tarde.


Não sei o que estou fazendo? Não faço simplismente respiro. Precisa -se fazer.
O que é a vida não sabemos estamos tentando desvendar ? Eu sim penso.
Mas muita gente não. Meu escritos tem um pouco de Pessoa mesmo que não acredites.
Não quero criar metaforas. Fazer literatura sertinha. Escrever poemas ou contos ou cronicas quero escrever sem compromisso de estilo.
Não escrevo para dar lição de moral ou desenvolver uma formula mercadologica já pensei nisso já sonhei com isto.
Estou sim com uma vontade de vestir uma saia, pegar um carro e adentrar numa estrada.
Sem volta pelo menos por uma noite. Dormir num hotel qualquer.
Ser eu mesmo. E pronto chega de sermos o que os outros querem pelo menos na criação de um texto. Ao fazer um quadro ao criar um filme.
Ao estudar esoterismo. Hoje vim da rua tomei um banho e dormir até anoitecer agora escrevo sem limite sem poesia. Querendo a liberdade idealizada por mim mesmo.
Amanhã não irei a Mantiqueira não subirei a montanha. Participarei de um multirão algo diferente para um domingo.
Mas vivo este momento de criação e nada mais existe além dos carros que passam na avenida com seus sons de rap.
Volto a houvir Raul Seixas um cronista nato. Suas letras são eternas cronicas.
Que ensinou Paulo Coelho a fazelas. Tudo passa a vida de Raul passou a minha ainda existe. Estou aqui em meio a elementais. Hoje vi um Beija - Flor quase a morrer de sede sendo salvo por um dono de banca de revista todo maluco beleza.
A POESIA na vida isto já me basta .. A poesia de livros hoje me sufoca. Para mim estou dentro de um carro na via dutra indo em direção a uma praia.
Para mim estou agora no Rio de Janeiro em plena Lapa vendo
a noite carioca.
Mas estou em meu quarto a escrever e para mim um ennorme prazer ... Escrever dizer o que penso e pensar o que digo?
Tó aqui a vomitar minhas vontades quase nunca realizadas precisa- ser?
Não sei eu tó vivo ... Respirando e quero parar de pensar. Eita vontade de apreender a meditar.
Vamos em frente chega de politica ... Mudar o que imutavel. Vamos vivendo deixando discursos para o passado. Quero é fotografar a cidade aprender de coração a ajudar ao proximo.
Sem buscar nenhum retorno isto é dificil mas chego. Lá são os tres fatores da revolução pscologica de Samael Aun Weor.
Dos tres. Trabalhar pela humanidade é o mais dificil.
Tudo que empreendi não deu certo. Devido talvez a minha falta de amor real.
Meus egos são demais ... Vou postar

João Carlos Faria


Nenhum comentário: