quinta-feira, 29 de abril de 2010

Sua piscina esta cheia de ratos.








Joca Faria







Depois de eu e o diretor Harley Campos um velho palhaço que contava as aventuras e desventuras da cultura sem identidade de São José dos Campos. Não porque os artistas daqui não tenham identidade talvez não tenham o espaço necessário para se desenvolver. Aqui temos sim poetas, artistas meu caro Daillor Varella você é um deles. Como esta juventude que fica sem praça. Porque a Praça não é mais do povo. E a Afundação Cassiano Ricardo não nos representa junto ao poder municipal. Virou mais uma autarquia borrrocratizada dos desgovernos do PSDB. Se a noite só ficasse nisto já estaria ganha. Pois a noite a cidade não esconde, mendigos, bixas e farrapos humanos fruto do desgoverno neo liberal da cidade. Mas Maria a Mãe de Jesus se fez mulher diante de nós e nos contou dos farrapos humanos que se dizem cordeiros mas são verdadeiros lobos. Aqui se faz acordos entre os Vermelhos do PT e os Tucanos do PSDB esta cidade esta partilhada em acordos escusos. Eu homem acostumado a ouvir as coisas mais ORRIVEIS da podridão humana me arripei. Maria que veio diretamente de Aparecida do Norte me contou das mazelas e acordos feitos nos porões da cidade. Enquanto 700 mil habitantes acreditam numa oposição e numa situação. São José é das Putas. Das Amélias,Izélias, Anaclelia, Ângela que não são mulheres de verdade. Das artimanhas de partidos quiça só seja vendidos nas Assembleias Paulistas. Pasmem senhores. É nos que somos ingênuos. A acreditar em João, Pedros e Carlos e Carlinhos que fecham acordos. Como já dizia um poeta Partidos dos Traidores assassinos da moral e da ética. E esta cidade está órfã de políticos. Eu que não vou em Rádios de Garcia que não é Lorca. De Antônio que de Santo não tem nada em eternos acordos. O leite dele se faz fazendas, iates. E o povo o ouve? Na merda sem emprego, sem asfalto, sem terrenos legalizados. E uma câmara de vereadores de verdadeiros lobos disfarçados de cordeiros dizendo amem ao sr. prefeito.

TERCEIRA via? Cade uma terceira via? Numa cidade que uma campanha para prefeitos custa trés milhões de reais. E alguém vai me convencer que não vão tirar cem vezes depois. Eu vivo numa cidade morta viva. Onde cada é cada um. E que se dane a politica para o bem comum.

Aqui não se pode gritar. Não há mais Ricardos, Loester e Saladinos eles te caçam como rato te chamam como canta Cazuza de ladrão , bixa e maconheiro. Pois aqui se enchem de dinheiro. A cidade esta sitiada roubada e esfarrapada. Não há vozes não há ação e nem reação. Cade os Juizes a justiça humana. Só sera fará a justiça Divina. Que um raio lhes parta a cabeça desta cambada de canalhas desta gente vil sem nenhum caráter. Estão além de Macunaima. Estes homens e mulheres já estão mortos e ainda não o sabem. Já estão nos infernos.

A máscara desta cidade cai a cada dia e não há Chapolin Colorado para nos salvar. Nos temos que nos levantar, juntar as forças fazer levantes gerar uma nova revolução, com arte , cultura , filosofia com entendimento de que fazer politica é lutar pelo bem comum. Chega destas raposas disfarçadas de cordeiros deste falso embate entre PT X PSDB. Isto é uma grande farça um jogo de cartas marcadas. Levantemos nossos braços, erguemos nossas espadas e vamos a batalha.





João Carlos Faria



Editora Pasárgada

quarta-feira, 28 de abril de 2010

video

Joca Faria






CLARICE QUE É CAMILA E TORNAR-SE CLARICE







Clarice se faz presente através de Camila. Nome Próprio seduziu-me completamente vejo Camila vejo Clarice. E chego ao Nome Próprio de JOHN FANTE. Quero desvendar suas páginas. Quero desfrutar de Camila. A poesia contida neste filme tem imensos sentidos além da beleza de Leandra Leal. Vejo descoberta-se. As Retinas novamente se abrem ao novo. E velho a poesia faz -se fluir faz se sentir. Varias cancões tomam – me de assalto neste ensaio poético. Deixo as Deusas me inundarem a uma mulher me esperando além de Tropa-bana. Quero navegar no mar do amor que ainda não tive. Hoje num capitulo de Lost me veio o amor. Que o personagem sentia. Como numa frase perdida de Frank Maciel. - TODO ATO DE AMOR , É UM ATO SAGRADO . É DA NATUREZA DO AMOR QUE NASCEM TODOS OS MILAGRES -

O amor esta além da logica Cartesiana. Do raciocínio metódico. E de uma vida inteira sem o desvendar. O amor é luz presente mesmo quando nos achamos em trevas. O amor é Judas nos infernos a buscar uma alma que busque uma centelha de luz. O amor esta além de nossa compreensão de nossos desejos. Clarice para mim sempre foi a metáfora de uma mulher completa. E as vezes distante e mesmo assim perto. A liberdade e amor. Um dia chegaremos a condição de anjos?

Clarice que é Camila e tornar-se Clarice METAFORAS … METAFORICAS … que nunca desvendamos. Eu perdido nas madrugadas longe de sonos . Materiais tento romper a ilusão de Matrix. A mulher é o caminho. Não há outro além do oposto. Quero catar as migalhas de pão que deixei e que nenhum pássaro ousou comer e sair fora deste labirinto. Estou sempre a Seis Passos de UM abismo. QUANDO conseguirei saltar?

Preciso enxergar além das Retinas … preciso voar ao lado de Clarice que tornar-se Camila que é Clarice. Eu sou o abismo que as trevas me prendem a luz esta dentro de mim.

Dentro de ti Camila , Clarice que nome de mulher tiveres. Só tu tens a chave. Que me tira deste deserto.





João Carlos Faria

terça-feira, 27 de abril de 2010

Joca Faria








Nome Próprio







A noite se faz presente. Estamos aqui no ar. Vivos a procura do significado da palavra liberdade. Num mundo do politicamente correto onde nada se debate. Tudo nos é permitido. Mas é proibido debater. Seja a diversidade sexual. Qualquer tentativa de debate já é tida como preconceito da sociedade heterossexual. E tachado de voltar ao patriarcal. E vamos em silencio vivendo uma época de múltiplas mídias que nos interagem e nos separa. Estamos todos juntos e todos sós. Enquanto os estudiosos falam em união na pratica só há separação. Andamos sós mesmo juntos estando. Calculamos quanto vale o amor o sexo e o desejo?

Entre estes segredos e desafios assisti o filme NOME PROPRIO de Murilo Sales inspirado nos textos da escritora Clara Avorback e nos seus livros Maquina de Pinball e Vida de Gato.

Com a bela Leandra Leal sempre nua neste belo filme difícil de ser interpretado. Este filme me fez lembrar a vida de muitos escritores e poetas aos quais convivo e convivi. A garota se entrega a obra e aos seus desejos de uma maneira intensa esquecendo do cotidiano de sua vida num belo apartamento por montar. Sei que a realidade desta nossa gente envolvida com os desafios da arte e mais duro. Mas este filme não foge muito a realidade. Nunca tinha ouvido falar de Clara Avorina mas pelo filme vemos que tem muito talento. E bons contatos que faz toda a diferença para o sucesso ou fracasso.

A garota vive num apartamento onde acaba entre um escrito e outro ficando com varias pessoas. Entre mulheres e homens. O filme é belo são projetadas na parede um monte de escritos poéticos de intensa vida e desafios. Enquanto a historia se desenrola. Acho que deveria ser legendado em Português ficaria mais interessante. Talvez tenha me acostumado a filmes legendados o Canal Brasil , junto com a TV SESC e o Futura somam-se a TV Cultura Paulista na árdua luta de mostrar nossa cultura e realidade em meio a centenas de canais Norte Americanos. Alguns bons e outros nem tão bons assim.

Este filme junto com Cama de Gato de Alexandre Stocker,Dois perdidos numa noite suja de José Jofily são a marca de um novo cinema mais urbano que surge agora. Para mim são filmes fundamentais que iniciam um novo caminho. O Brasil passa a ter diretores internacionais que geram grande bilheteria e estes cineastas que geram uma boa reflexão da sociedade atual muitas vezes marginalizadas. Uma pena o cinema não se sustentar sozinho e depender do Pai Estado. Teríamos muita ousadia como foi Cama de Gato. Mas a uma industria a se firmar a espaço para a Globo Filmes, com filmes como Carandiru, Central do Brasil e os filmes de baixo orçamento que firmam novos cineastas. Já há movimentos de grupos de cinema que são montados como os grupos de teatro e sem nenhum apoio São José dos Campos conta com dois grupos assim que mostraram seus trabalhos no Estival em 2009.

Nome Próprio é inquietante e quero assisti-lo de novo desta vez por inteiro ontem vi um trecho. Mas já valeu uma reflexão de uma noite inteira.

E a liberdade existe realmente? O personagem de Leandra Leal termina só escrevendo. E nos deixa muitas duvidas. Mas a vida é mais incertezas do que certezas e a arte esta ai para registrar isto. Agora só falta eu achar um canal que mostre o novo cinema Europeu e filmes do mundo inteiro. O Cinema Norte Americano é forte mas precisamos conhecer outras culturas. A TV a cabo ainda esta longe da diversidade do mundo virtual mas nos mostras muitas janelas. Em breve tudo estará integrado. Por enquanto ralamos para assistir Lost no TERRA TV em breve sera´tão rápido e da mesma qualidade da TV.

Estão ai as dicas destes belos filmes. Que nos trazem as inquientaçoes da vida que cada um ache as suas repostas. Um belo filme de Murilo Sales.

No mais vou encerrando por aqui em breve retomo as inquietações poéticas. A vida é cheia de ondas

tudo vai e vem numa eterna ciranda.







João Carlos Faria





Editora Pasárgada



Entrevista César Pop



http://www.youtube.com/watch?v=HTdvNidpNas





Usina Belo Monte por Ricardo Faria



http://www.vejosaojose.com.br/opaudearara.htm





http://www.vejosaojose.com.br/opaudearara.ht
 
http://www.youtube.com/watch?v=HTdvNidpNas

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Wilkipédia
http://www.youtube.com/watch?v=s7c1WB2gdIY

Video Ricardo Faria

http://pt.wikipedia.org/wiki/Neil_Gaiman
Joca Faria






Deuses da Escrita







Amanhã se esvai acabo de ler um texto de técnicas de escrever leitura obrigatória para a faculdade. Que coisa interessante. O mundo gira esta quinta está quente. É Outono o Verão já se foi. Mas a necessidade de um escrito graças ao Deuses não passa.

Estamos aqui de olho no mundo e o mundo não esta de olho em nós? Tudo passa se esvai e vivos sempre vivos. O universo se expande. E nos buscando nossa essência perdida em algum lugar dentro de nós mesmos. A vida é sempre um labirinto de emoções e sentimentos. E não achamos o Fio de Ariane e o Minotauro sempre próximo a querer nos devorar. Assisti na TV um programa sobre os Deuses Gregos como nunca os tinha visto antes eles sim merecem ter suas histórias contadas em grandes filmes por grandes diretores. Dias deste num encontro citei o Eclesiastes umas das passagens e me perguntaram se toda aquela sabedoria era minha. Quem sou ainda longe dos grandes escritores que fizeram a Bíblia ou outros livros religiosos que nos dão a base da civilização. Já li uma carta de Monteiro Lobato para Cassiano Ricardo comentando a não entrada de Monteiro na Academia Brasileira de Letras ele usava como argumento o Eclesiastes que lindo era este texto um dos mais belos que já vi seria usado num daqueles documentários que nunca acontecem. Mas o aprendizado ficou tanto Monteiro quanto Cassiano são dois grandes escritores do século vinte.

Nós as vezes nem nos apercebemos tão apaixonados pelos livros e me descobri atento a diagramação , montagem e capa. Num dia deste era um livro de um amigo sobre Sonhos. Tinham digitado como se foce uma letra de maquina de datilografia e as ilutraçoes eram belas com produtos antigos. Editado pela Editora Cosac Naifty um senhor livro ao texto não me atentei mas uma boa embalagem ajuda a valorizar o produto. Quero um dia chegar a esta precisão com meus livros. Dá um trabalho selecionar textos para compor um livro. Escrever em blogue quase que diariamente é bem mais fácil pois variamos o estilo da escrita e um livro precisa de uma coesão de temas. Escrever para virar gaveta não é meu forte. É preciso saber armazenar de forma que não se perca os textos e os blogues acabam também servindo como deposito de texto. Meu objetivo é um por dia e pretendo desenvolver outros gêneros além das cronicas. A poética parece que perdi. Agora entendo porque Paulo Coelho não consegue mais escrever uma letra de música. Escrever é um exercício permanente um desafio diário a cada texto publicado temos varias reações sempre inesperada. Mas o mais sofrido é quando por mais bem feito que seja ou polemico eles são ignorados. Ai é algo bem estranho. Por mais que tenhamos uma profissão escrever é uma vocação que nos faz sentir vivos. Tanto quanto o prazer de ler um livro ou assistir a um filme. Achar uma editora interessada em seu trabalho é quase uma utopia. Acho mais fácil criar uma. Pois na sociedade tudo é círculos de amizades e contatos. As vezes vamos nas Flip da vida ou SESC e nunca nada acontece. Então agora vou para me divertir e pronto. Andar em Sampa ou Rio é outra grande ilusão a cena cultural é algo de uma grande fantasia. Sempre no máximo acabamos dando umas oficinas e olhe lá. Por isto prefiro fazer uma faculdade e pronto. Nada de ilusões já conheço gente frustrada neste meio artístico a grande maioria. Estou caindo fora deste circulo vicioso e muitas vezes virtuoso pois o Bem e o Mal andam de braços dados .

Tudo que deva acontecer acontece ou não. Eu poderia fazer um romance sobre o universo cultural narrando as coisas são mais reais. Henry Miller o fez e muito bem a França dele ou EUA são maravilhosos , mas é porque não estávamos lá. Como as narrativas de Anais Nin ou Simone de Beauver que li um belo romance sobre um homem imortal que passou da idade média aos dias de hoje. Muito bem escrito. Escritores nos moldam temos que os ler de todos os gêneros. Até as historias em quadrinhos uma vez falei para alguns amigos que historia em quadrinho era inferior a literatura. Ai me desafiaram a ler Sandman de Neil Gaiman ai quebrei a cara gastei uns três meses nesta historia bem construída por tanto arte é arte. Não devemos julgar se é auto ajuda, escritos religiosos tudo é fundamental e importante quem sabe até as bulas de remédio. Ler e escrever é algo fundamental para o desenvolvimento de qualquer ser humano. E custa barato nunca fiquei até hoje sem uma pilha de livros para ler. No momento tenho uns trinta livros que ainda não abri só preciso criar um tempo para devora-los. Tinha um amigo que dizia que lia e arrancava as páginas que lia e as devorava para acumular o saber. Ele só precisa voltar a cena cultural. Por mais estranha que seja a cena cuuuuuuuuuuuuuuuuuuuural nos faz aprender. Faço minhas criticas sem reserva mas adoro este povo criativo. Que se mistura ao povo e cria sua própria tribo. A Tribo Invisível segundo Carlos Aguapé num poema publicado no LITTER antecessor do Entrementes e Vejo São José que ninguém mais comenta. E assim vamos preciso encerrar pois o JANTAR esta na mesa e hoje tenho uma aula pelo computador. No mais boa leitura a todos. Merda pro ceis. E boas leituras.





João Carlos Faria



Editora Pasárgada



São José dos Campos São Paulo Brasil.





Entrevista com Ricardo Faria jornalista editor do www.vejosaojose.com.br







http://www.youtube.com/watch?v=s7c1WB2gdIY





Site Entrementes www.entrementes.com.br



Blogue http://jocafaria.blogspot.com/



msn jokafaria@hotmail.com



cel 012 9113 54 17

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Quadro de Davi F. F. pintando Joca Faria - João Carlos Faria. 

terça-feira, 20 de abril de 2010

Joca Faria






SÃO JOSÉ DAS INSANIDADES







Comecei um outro texto para virar um conto mas não resisti e o salvei e vim aqui para meu já´velho estilo de escrever. Sei que devo experimentar mas nada como o conforto de algo que já sabemos ou achamos que sabemos fazer. Mas voltarei ao meu conto meio para adolescentes. Que público nê. Um dos canais que o quarentão aqui gosta é a MTV. Tem o Canal Brasil sobre cinema e a TV SESC passa alguns documentários bem feitos hoje vi um sobre caminhoneiros muito bem feito um documentário provavelmente feito nos anos setenta. E os desafios são sempre os mesmos. Mas quero falar neste texto sobre o andar de ônibus ou circulares. Eita ambiente altamente social. Ali percebemos todas as tendencias e novos hábitos do povo. Assistir TV no celular, acessar a net ainda é caro mas questão de tempo fica bem barato ou de graça . O povo mandando mensagens para lá e para cá. Felizmente na minha cidade o público de ônibus são mais mulheres e vemos de todas as maneiras, novas, velhas, idosas Mas nem sempre carinhosas.

Mulher não tem nada de frágil só na aparência mesmo. Sempre ditando moda. E uma me contou uma história dizia trabalhar na Praça Afonso Pena a muitos anos atrás. Mas hoje tem outras atividades parece que é assessora na prefeitura. É que ela sabe de mais da gatunagem nesta cidade e uma maneira que encontrarão e arrumar uma vaguinha num gabinete qualquer da prefeitura.

Ela diz que o mal dela é espalhar as coisas que aconteciam na cidade para um certo jornalista que tem fama de chato. E um outro que tem um programa de rádio bem ouvido. E para ela não mais contar os bastidores da cidade arrumaram esta boquinha.

Ela consegue saber através dos contatos do sub mundo ligado aos políticos e empresários da cidade.

E achou que devia me contar algumas coisas , mas que eu não escrevesse não. E eu disse eu não. Mas sempre digo a ela que os políticos e empresários de nossa cidade são gente honrada do mais alto respeito. Na maioria vinda das Minas Gerais.

E impossível que comemorem suas armações fechando algumas boates de cidades vizinhas para festas. Até tinha um vereador que vestia as calcinha de suas colegas. E saia feliz de pois de cheirar um pó lascado. Mas eu sempre digo isto é uma calunia a classe politica da cidade é feita de gente idealista que trabalha para o bem comum. Estas pessoas são pacatas. Não andam com amantes.

Não contratam parentes e amigos nas autarquias públicas nem levam dez por cento das empreiteiras.

Nesta cidade só se arruma o centro, cheio de jardins supenso em busca de uma babilônia perdida.

É um absurdo em vez da cidade que se chama São José dos Campos alguns poetas escreverem São José das Putas. Mas digo que sempre que a opinião dela e não a minha acho que o povo vota bem. E a contagem hoje é bem honesta não é mais igual a época de Cassiano Ricardo hoje já não há o perigo do comunismo. Segundo ela o fascismo hoje é bem disfarçado. Discordo dela todos temos espaços na mídia, nos jornais os jornalistas sempre apuram tudo de uma maneira bem imparcial.

Diz ela que sou um tapado e não vejo coma a cidade é de fato. Que mentira minha cidade é cheia de artistas talentosos. Que se viram bem sem o poder público. Verdadeiros empreendedores.

Disse que já não quero mais escrever criticando ninguém que sou também tido como chato. E falei para ela sempre me contar as coisas que acontecem nesta cidade no pais e no mundo sou todo ouvidos. E agora não tem as pastelarias dos chineses que virou uma farmácia para irmos. É que ela me falou que a sociedade hoje em vês de pasteis quer é remédio para não continuar a enchegar. Disse ela que a água da Sabesp se poem fluir para as pessoas ficarem sempre calminhas. Mas eu pergunto a ela porque não sai e denuncia tudo como foi feito em Brasila no governo Arruda?

Ela diz que sou ingenuo esta cidade todo mundo ganha seu quinhão até ela.

E quando vamos para a cama ela grita e nome deste povo e suas trapaças e eu vou anotando tudo quem sabe uma hora destas sai um livro. Podem até montar uma peça nesta cidade que só retrata o caipira no teatro com umas anedotas bem fraquinhas.

E ela me pergunta sempre tem grupo de teatro nesta cidade? Tem artista de alma verdadeira.

E eu passo uma lista de blogues que me mandarão. E assim vamos entre festas de Mineiros, festas de forasteiro e a cidade cresce progride.

E eu aqui amando esta nossa cidade. Eu falo para ela você exagera somos todos tão honestos.

E aqui termino este texto pedido por telefone pelo Ricardo Faria imaginem a revisão dele lá no www.vejosaojose.com.br.



No mais um bom feriado. Pois reflexão sobre o tema de 21 de Abril ninguém vai fazer mesmo.

Beijos insanos beijos. Há é ela que me diz. Não eu.





João Carlos Faria

sábado, 17 de abril de 2010

Tibet Livre de Davi FF - davi fernandes de fariaSolfidone



Joca Faria






STATUS





A habitual dor de cabeça de uma sinusite que nunca acaba, um estranho cansaço. Num sábado entre tv a cabo e internet e uma atividade pela manhã. Mais um dente ressentido com um pedaço de torresmo bem duro. Ingredientes para preferir ficar em casa numa noite quente de sábado. É que nestas cidades andamos a bater cartão todos os sábados nos espaço culturais. E depois saímos por barzinho vazios de conteúdo. A vida comteporanea é tão sem sentido assim? As pessoas quase vivem sem opção nenhuma em sub empregos. Nunca interferimos de verdade na vida politica ou social de nossas cidades. Que farsa o mundo se torna perfeito via intente ou tv a cabo. Será que ficar sem internet é voltar a idade média? A classe alta se isola em condomínios fechados cada vez mais longe das cidades. Os centros se enchem de mendigos e bêbados? Qual a diferença entre bares de classe média e das esquinas das periferias? Somente o status? Gostaria de pegar umas destas promoções das companhias aéreas e cair fora de minha de sua cidade. Como criar um sentindo para trabalho, ganhar dinheiro ou ser relevante? Grande coisa tudo isto se nunca alcançamos a verdadeira felicidade. Viver é uma grande repetição de cotidianos. Nunca saímos de nossas prisões mentais. Prefiro caminhar por estrada empoeiradas num domingo vendo as paisagens da Mantiqueira no que é ainda preservado. Parece idiotice mas é um momento em que convivemos com nosso corpo com nossos limites. A natureza é perfeita com seus desafios. E a vida urbana numa sociedade capitalista só nos traz relações vazias. Tudo é sempre passageiro e o passado sempre com uma bela lembrança que mentira tudo roda e sempre estamos no mesmo lugar. Como faremos para saltar este abismo?

Como iremos além de nossos cinco sentidos. Percebo a beleza nas prantas que surgem por entre as calçadas sem que ninguém as plantes. A vida flui mesmo ao lado de córregos e rios poluídos pelo homem. Estamos aqui tentando decifrar nossas vidas sair de nossa gaiola imaginária. A liberdade tem um alto preço. Mas vale a pena lutar por ela. O tempo para nós é inestimável e não o devemos perder-lo por três moedas de prata. Não seremos Judas de nossa consciência. Não seremos servis aos senhores que se julgam dono de um poder ilusório. O universo é além desta tri dimensão de nossa vida comum. Devemos por nós mesmos achar as chaves. Será que somos melhores em quanto seres humanos dos que habitavam a idade média? A falta de fé e conteúdo e a mesma. Tentam nos fazer servir os mesmos senhores de sempre. O poder, a fama e o dinheiro são ilusões as vezes necessárias as vezes não. Podemos até telos mas nunca nos identificarmos com eles. Somos além disto tudo. A felicidade esta bem dentro de nós e podemos a ter em qualquer lugar. A natureza esta firme e forte apesar do homem achar que a domina. Ela se revolta muitas vezes nos pune. E nunca enxergamos isto. Estamos materialistas demais para enxergar a divindade dentro de nosso cotidiano. Por isto justamente nunca encontramos as verdades que nos são necessárias. Como diz o Eclesiastes tudo é vaidade nada além de vaidade.

Não tenho nenhuma resposta as vezes os bares vazios as tem? Ou não mas hoje prefiro a quase solidão de um calor de outono. Quero ser um pássaro que se liberta de sua gaiola. Como diria Solfidone. HOMENS NÃO SOIS LIVRES NEM DO VASO SANITÁRIO.

Viver é uma aventura as vezes cheia de sentido as vezes não. Mas por enquanto prefiro esta vida onde sempre tenho muito a aprender. E preciso aprender a me depurar. Ir além de meus eus os tirar de dentro de mim. Para que o Sol ilumine um novo dia. Quero ir além da minha sombra, quero fazer o Sol nascer dentro de mim. Eu ainda não sou mais serei. Eu sou.





João Carlos Faria



Editora Pasárgada






Video Chuva de Joca Faria

http://www.youtube.com/watch?v=uNrUPkOvg2I

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Joca Faria






Deus ou Gaia na singela visão de Joca





Assistindo uma palestra sobre os sonhos, me veio a vontade de tentar descrever Deus ou tentar entender Deus? Mas já existem tantas religiões? Filosofias e misticismo em torno de Deus? Como conseguirei passar um Deus que sege meu ponto de vista. Se sou influenciado por toda esta cultura espiritual e materialista sobre Deus ou para quem quer Deusa. O que é e onde está? Com certeza não é um velhinho mal humorado e de barbas brancas que joga raios na humanidade. Deus é algo indescritível inefável onde toda a imaginação de profetas, pensadores nunca conseguiu acessar. A cabala nos fala da região do Aim onde poucos chegam. Mas o que a além? Ainda não sei minha meditação não sai do lugar então deixo para a minha inspiração. Se não sei quem sou além de Joca ? Quantas vidas já tive? De onde vim ? Como posso tentar entender Deus. Se a luxurias e as baixas emoções tomam conta de mim? Assim como as altas? Como entender Deus. Gosto também do aspecto feminino de Deus ou Gaia em sua dança que faz nascer o universo. A física quântica chegará a entender Deus? Não sei só sei que nasci Católico Apostólico Romano, passei pelo espiritismo de Alan Kardec e quase fundei uma seita que não aceitava cheque junto com alguns amigos. Hoje estudo a Gnose de Samael Aun Weor que me dá muitas respostas mas ela mesmo diz que a respostas esta dentro de mim mesmo. Ou de você mesmo leitor que talvez busque estas repostas? Sei que não sou o que sou que estou além desta personalidade que um dia nasceu e um dia que não sei quando findará. Eu existo e não existo. E Deus existe? Não é uma fantasia humana como dizem os materialista? Acredito que não pois este materialismo esta nos corroendo nos levando a um grande egoismo. Deus esta no coletivo. Na junção da humanidade e não nas separações de credos, linhas filosóficas. Deus ou Gaia esta na nossas aventuras sexuais? Ando a assistir os canais fechados onde rola muitas informações e um universo de sexo e desejo. Mas a onde estas sençaçoes levam? Que prazeres são estas quando se termina se acaba? A vida parece longa e curta e num só texto não resumirei o que é Deus ou Gaia? Nem se fizer um tratado inteiro ou uma obra inteira quero um dia ser cineasta para através das imagens falar de Deus. As vezes as imagens são tão fortes quanto a palavra. Mas ainda só sei através da palavra falar de Deus. Gaia é uma mãe, uma esposa, uma filha. E Gaia nos conduz. Deus é pai, irmão e amigo. Uma coisa eu sei ELE ELA esta dentro de mim, de você e de toda manifestação esta acima do Bem e do Mal. Esta ná

Igreja Católica na Evangélica no Islamismo e dentro da Gnose e do Sufismo. Na filosofia grega entre os materialista. Mas porque ele me inspirou a escrever sobre ele sendo que tem tantos artistas e escritores melhores do que eu. Pois se faz presente em mim e em você. Não é propriedade de nenhum culto ou filosofia. Gaia se faz presente em nós. Portanto ele é e não é existe e não existe. Nenhuma ação politica vai nos levar a Deus. Mas toda ação politica vai nos elevar ao melhor da humanidade. Temos que sentir sua presença. E a sinto na mãe natureza. Não só na hora que me ajoelho a sinto dentro de mim e no próximo no amigo e nos inimigos. Precisamos saltar o Abismo. não ter medo. Ele Ela está além dos medos, além do convencional. Além da física e da metafisica.

Quantas dimensões existem todas fluindo e afluindo. A vida é bela e abundante na calmaria e nas adversidades. Deus é belo quando se faz Mulher. E quando se faz Homem e se torna energia na junção do masculino e do feminino.

Assim termino este texto talvez o primeiro a tentar entender Deus ou Deusa. O PRINCIPIO E O FIM e além de Sansara. Aqui estamos nesta era virtual nesta era de junção e separação de ódio e amor. Estamos vivos, vamos viver subir a montanha e cantar com vozes afinadas e também desafinadas devemos ir além dos conceitos. Devemos experimentar o Deus que está dentro de nós. Só assim descobriremos o amor.









João Carlos Faria



Editora Pasárgada



Desenho Solfidone

Video Parque da Cidade

domingo, 11 de abril de 2010

Joca Faria






Summertime





As estrelas brilham no céu da noite enquanto ouço Janis Joplin a cidade se move por entre suas entranhas. Deuses caminham por suas avenidas. E eu aqui respirando enquanto não ouço o pulsar de minhas veias. Devo nas noites frias e quentes recolher-me em meditação. Irei recitar mantras pelos resto de minha longa vida. Espero que seja longa? Hoje vi o final de um filme onde a pessoa nascia velho e morre bebe. Vi uma senhora se levantar e se vestir para aquele homem. A vida é longa ou curta só depende de nós. Estamos aqui num Abril quase inteiros. Eu sempre assistindo um filme num canal qualquer. A CIDADE se constrói e sempre se faz através do eterno reaprender a fazer politica. Agora as idéias circulam rapidamente de forma digital e os seres que se fazem afins se encontram. Ainda li pouco de Walt Whitmam, gosto de Fernando Pessoa. Gosto de meus escritos quando bem depois os leio. Acho que ando a carregar na tinta. Ando sempre pesado pensava ser a interferência de um revisor e agora sem ele me achei bem pesado. Devo mudar os rumos pois devemos estar próximo das batidas de coração de nosso leitor. Não devemos ver a vida de uma forma radical. Tudo rola a seu tempo. Eu sou um e todos em comum enxergamos o mundo cada um a sua maneira. E aprendo a ver o mundo sobre as formas dos artistas conceituais. Se bem que ontem

não entendi nada de um espetáculo de performance? Para mim parecia uma oficina aberta ao público. Mas cada um que saiba o que quer propor num palco. Estamos no grande palco da vida sem roteiro prévio a seguir. Deixemos as coisas acontecerem. Quando garoto no Jardim Paulista eu morava do lado da rodoviária e sempre vinham circos e parques de diversão onde eu brincava nos trapézios. Entrava nas jaulas dos leões. E sempre andava na corda bamba. Como canta Eduardo Malafaia na música o poeta e o palhaço estamos sempre numa corda bamba. Quando criança eu era quase feliz e não sabia. Porque vemos o passado de forma romântica e bela. Sejamos o presente belo. A vida é um presente estamos sempre a aprender e sem querer também ensinamos. Ouço o cantar de Janis Joplin. Ela me encanta com seu canto deito-me e vejo Walt Whitmam falar seus poemas o vejo trabalhar nos jornais. E o vejo com seus garotos. Adorei ver aquela senhora se levantar e se vestir. A nudez é algo belo. Seja em qualquer ser humano pena que as mentes humanas andam a se deturpar. Adorei ver as imagens de Wandy Wool numa bienal a anos atrás. Ele previu o yotube. Hoje a qualquer momento nossas imagens estão ai para o mundo ver. Dias destes filmei o parque de minha cidade agora só faltar editar. Dias destes retirei umas imagens minhas onde banhava nú numa cachoeira. Não devo mais entrar em escândalos. Não quero mais misturar-me ao estrume. A arte é algo acima do bem e do mal e nossas cabeças as vezes se deturpam. Janis canta e me encanta. As madrugada de Sábado são belas quando encerramos a noite numa padaria da Adhemar de Barros. A noite a cidade é louca e calma ao mesmo tempo. Amo esta cidade se um dia for embora a levarei dentro de meu coração.

Um dia viverei entre o mar e a serra. Circularei por entre estes lugares. Me sinto muitas vezes um estrangeiro dentro de minha cidade. Sinto-me muitos dentro de mim mesmo. Ouço o cantar de Janis e leio sua frase.





EU CANTO COM MINHA VOZ COM MEU CORPO EU CANTO TODA



Janis Joplin



E ai me sinto Janis, Pessoa, Withimam todos habitam – me e eu habito dentro deles.

A cidade se fecha e se abre a cidade cara pálida somos nós.

Nós somos a cidade nós somos São José dos Campos São Paulo Brasil dentro desta minha aldeia faço parte do mundo e as vezes me torno o mundo.

As estrelas brilhas as luzes se apagam Janis se cala. E eu em silencio. Adentro dentro de mim em busca de meu ser. Onde estou. Sou além deste corpo deste momento eu ainda não sou o ser.





João Carlos Faria



Editora Pasárgada





JOÃO NICOLAU no vide-o páscoa



haptoo://www.youtube.com/watch?v=xv77b5XKbO8









João Nicolau e a pasoa

http://www.youtube.com/watch?v=xv77b5XKbO8

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Joca Faria





Hiena



Minha revolta não se vende





Manhã de sol depois de uma bela noite de outono. Trocando as fotos dos meus perfis na ueb. O mundo gira. Tudo flui a vida vai como diria Vinícius de Moraes em ondas. Há tempos estamos aqui neste pequeno planeta. E ai vivos bem vivos cheios de incidentes e acidentes. Ainda não descobri o amor. Tão distante de mim. Mas tudo é uma questão de deixar o universo nos levar como o velho Solfidone dizia que hoje vive só num shopping qualquer longe de tudo e de todos. Eu prefiro as pessoas cheias de defeitos e qualidades o ser humano é fundamental. Seja aqui ou em Nova Yorque ou na Transilvânia terra de José Serra. Eita CQC. Ontem a equipe do Entrementes fez uma entrevista com Moacyr Pinto sobre o livro Hiena Minha revolta não se vende.uma bela edição de um livro bem diagramado e bem feito agora só falta eu devorar suas páginas. Aos poucos o Brasil ganha um novo autor. Moacyr tem uma experiencia nas lutas politicas e sociais das ultimas décadas eu o conheço desde o inicio de minhas militância no fim dos anos oitenta.

Teve uma vez que fiz um discurso em um dos encontros do PT e Moacyr me apontou alguns caminhos.

E assim estamos ai nas lutas sociais eu gostaria de fazer muito mais que faço ajudar a cidade se livrar das garras do PSDB ajudar a centro esquerda no Brasil a construir um projeto politico além do PT. Adorei o governo que se encerra mas a politica deve ser sempre oxigenada com novas ideias e ações. E ler o livro sobre um militante combativo como Hiena nos ajuda a refletir. Confesso que nunca ouvido falar dele. Sempre ouvi falar de Jesus e outros sindicalistas mas de Hiena não. A vida social e politica num pais destes é difícil. As pessoas as vezes são deixadas de lado. Já perdi muitas oportunidades de emprego quando levantam nossa Capivara já era. Falta as esquerdas organizadas sacarem estas questões mas não sacam. Nossos companheiros ficam enfiados em gabinetes a vida inteira e a vida é bem mais fácil e como dentro de gabinetes o povo é que pague a conta.

Enfrentar este conservadorismo no Brasil não é fácil deveríamos criar, empresas, cooperativas para gerar emprego para ativistas chega da esquerda se acomodar a mãe estado. Ou um pai bem tranquilo

a esquerda não pode virar funcionários burocráticos.

Sei que vereadores e parlamentares fazem o que querem com seus assessores muitas vezes humilhando, tirando porcentagens do salário. Isto meu caros não é vida é uma distorção das lutas democráticas. Qualquer ser politico deve ser independente intelectual e financeiramente.

Não pode acontecer um abandono como aconteceu ao Hiena ouvi de pessoas que tem muito ex sindicalistas passando aperto Hiena não é uma exceção infelizmente é a regra. Filismente ele foi anistiado. Mas e tantos outros que lutaram para que trabalhadores e a comunidade se beneficie destas lutas. Meus caros mostrar a cara neste pais custa-ce bem alto. A maioria das pessoas tem medo de dizer o que realmente pensam. E passam a vida toda cheia de medos e angustias assim lotando os consultorios psicológicos estou fora falo o que penso e escrevo assumindo as conquencias.

Este mundo capitalista e competivo pode mudar depende de cada um de nós e Moacyr, Hiena, Elizabeth Souza com seu Entrementes cumprem suas partes e nós carápalidas vamos ficar sempre acovardados. Correndo risco de morrer de câncer.

Esta cidade São José dos Campos clama por mudanças não podemos deixar este conservadorismo tacanho do Vale do Paraíba nos amordaçar criemos novos espaços. Criemos novas lideranças sejamos elas. Façamos uma revolução de modo festivo e feliz sem cara amarrada as ferramentas estão ai. O Brasil pós Lula carece de novas utopias. Novos lideres e mudança no jeito de fazer politica. Quem em sã consciência quer estar numa câmara de vereadores ou no congresso infestado de gente mal intencionada tem parlamentares honestos que desistem de candidaturas.

O governo Lula teve que suportar este congresso mal caráter. Se não nos atentarmos as eleições parlamentares não damos a quem ganhe as eleições condições de ampliar os avanços implantados por

Lula. Hoje temos acesso a faculdades, tv a cabo, casa, carro.

Se bem que prefiro que governos invistam em transporte público de qualidade não haverá mais espaço para carros muito em breve nas grandes cidades.

Enfim procurem ler o Livro de Moacyr ele aponta alguns caminhos pois estamos ai vivos e cheios de vontade de mudar a nossa historia. Faça mo as felizes bem felizes.



João Carlos Faria



Editora Pasárgada



Moacyr Pinto

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Joca Faria






Pavão Mysteriozo





Ouço os cantares vagabundos de poetas perdidos em meio a selva eletrônica. Enquanto leio estes poetas absorvo suas almas. Aflitas de desejo. Perdidos nas cidades. Os desejos de um mundo material. Eu aqui perdido em plena Vila Industrial com o normal cotidiano. Sonhando estar em minha Serra da Mantiqueira contado as poucas moedas que talvez me levem aquele mundo entre florestas virgens e cachoeiras. Enquanto isto não rola. Delicio me no Parque desta nossa cidade.

Ouço os cantares vagabundos de poetas perdidos em meio a selva eletrônica. Vejooo as fotos de Kazuo Okubo feitas em Brasília em meio a bela paisagem urbana.

Belos corpos expostos a qualquer olhar. A manhã se esvai em meio a ausência de calopsitas e pássaros que se foram e a mulher que nunca vem. Entre segredos do universo. Portais de outras dimensões. Quando sonho sou um pássaro a voar por toda a Mata Atlântica antes que Cabral chegasse nestas paragens. Sou um pássaro que voa por toda esta região. Vejo os Tupis felizes antes de serem invadidos.

E como pássaro eu canto livre de gaiolas. Eu um pássaro livre que sou. Sigo as marcações dá música Pavão Mysteriozo de Ednardo. Agora sou índio, que dança e canta numa tribo por entre a mata. Sou pássaro, sou homem, sou índio sou a liberdade em mim mesmo. Quero aprender qualquer instrumento musical para soltar meu som. O universo está alem destas nossas convenções desta mecanicidade lunar. Sou arte sou pop. E posso voar.



Ouço os cantares vagabundos de poetas perdidos em meio a selva eletrônica .E canto e toco mesmo com minha voz quase desafinada. Esta música adentra a meus ouvidos internos e torna-me pássaro.



Tenho tudo para olhar … Tenho muita coisa para olhar … Sou pássaro voo alto bem alto. Minha imaginação não tem limite e nem a sua caro leitor. A liberdade esta dentro de nós. Enquanto ouço Ednardo e absorvo o que sua alma diz a minha alma. Sou poeta perdido nesta floresta eletrônica.

Buscando a realidade mágica. Que existe por trás desta terceira dimensão.



Sou pássaro e canto. Sou homem e canto. Ouço os cantares vagabundos de poetas perdidos em meio a selva eletrônica.



Sou poeta, me faço poeta. Mergulho dentro de meu ser … E deslizo pois sou agua que vai dar no mar. Sou profeta … sou a loucura e a sanidade … Enquanto ouço Ednardo.... Viajemos além da luz além das trevas … Viajamos pelas imagens da Brasília de Kazuo Ono...Vou me embora para Pasárgada que lá me faço rei...





João Carlos Faria



Editora Pasárgada







Kazuo Ono



Fotos

http://br.olhares.com/aids_2_foto1848148.html





Ednardo Pavão Mysteriozo

http://www.youtube.com/watch?v=7GaYn5MnIDI